A maneira mais eficiente para se administrar os desafios para cuidar de um idoso é entender com clareza quais são suas necessidades. Fizemos essa lista para montar uma base de reconhecimento de padrões, caso algo já esteja acontecendo, ou pelo menos um alarde inicial para tomar uma decisão num futuro não tão distante.
Separamos, então, 10 desses indícios na lista abaixo:

  • Saúde Mental – Seu parente está tendo problemas de memória ou tomada de decisão? Para um diagnóstico correto, um neurologista deve ser consultado.
  • Mobilidade – A pessoa está se desequilibrando com frequência enquanto anda? Ela tem dificuldade de sentar em uma cadeira ou se deitar? Muitas salas de emergência e visitas rotineiras ao hospital são resultados de acidentes em casa.
  • Segurança em casa – O lar apresenta algum perigo de queda? Foram tomadas medidas de segurança no banheiro (como barras de apoio; tapete anti-derrapante)? Considere entrar em contato com alguém para avaliar a segurança da casa.
  • Nutrição – Existe comida adequada na moradia? Ela está bem guardada? A comida da geladeira está nova? Como as compras são feitas? Os aparelhos funcionam corretamente (não tem risco de curto-circuito, por exemplo)? A saúde e o vigor da pessoa em questão faz com que o preparo das refeições seja difícil?
  • Medicação – Existe um sistema ou rotina eficaz para administrar os medicamentos? A pessoa entende claramente o que cada remédio proporciona? Há alguma confusão sobre quando a medicação deve ser tomada (antes, com ou depois de refeições)? Está tudo dentro da validade? Se lembrar de tomar remédio é um problema? Existe algum efeito colateral desagradável?
  • Dirigir – Se a pessoa ainda dirige, ela é um bom motorista? Existe alguma maneira de colocar alguns passageiros no carro para ter certeza de como as coisas estão indo? Se a direção da pessoa apresentar risco, considere um curso de reciclagem.
  • Isolamento – Quanto contato seu parente tem com os outros? Existe alguém em que ele interage de forma regular? Existe alguém que pode checar, de forma regular, se está tudo bem?
  • Pagamento de contas – A pessoa ainda tem capacidade de administrar e pagar as contas? Todas as contas têm sido pagas em dia? Seria o caso de tentar alguma forma de pagamento automático (como débito automático em conta)?
  • Fluxo de dinheiro – Administrar as finanças é um problema? A pessoa está em risco de abuso financeiro? O acesso ao dinheiro deveria ser restrito para limitar uma possível exploração?
  • Papelada legal – Existe um testamento? Você está designado, legalmente, como responsável “tomador de decisões” substituto? Onde esses documentos estão guardados?

Essa lista precisa sempre ser revista e estar com fácil acesso para quando existir uma necessidade especial para com seus pais ou parente mais velho.